Bullying na escola – Como evitar?

Bullying na escola – Como evitar?

 

Acabar com o bullying na escola é um dos grandes desafios para os professores nos dias de hoje. Por isso, nós precisamos reconhecer essa realidade e entender como combatê-la para auxiliar com que nossos alunos vejam a escola como um ambiente acolhedor e não um local de humilhação e sofrimento.

Gerúndio do verbo do idioma inglês “to bully”, o termo bullying foi adotado para se referir a agressões físicas ou psicológicas, intencionais e contínuas, realizadas por uma pessoa ou um grupo. Normalmente, o agressor é um aluno popular, que escolhe uma vítima que ele enxerga como frágil, um alvo fácil, e inicia atos de violência contra ela.

O professor tem um papel chave para prevenir que crianças e adolescentes sejam vítimas dessa prática, que pode deixar consequências para a vida toda. Confira nosso artigo e aprenda o que você pode fazer:

 

Identifique o que caracteriza o Bullying

 

O primeiro passo para combater o bullying na escola é identificar as ações que o caracterizam. As principais são:

  • Agressões físicas
  • Uso de apelidos ofensivos
  • Xingamentos
  • Discriminação de qualquer tipo
  • Promover o isolamento social da vítima
  • Ameaças
  • Criar e espalhar boatos contra a vítima
  • Humilhação pública
  • Roubo ou destruição de objetos pessoais
  • Ataques online

Com a internet e o crescimento do uso das redes sociais, é preciso também ficar atento ao denominado cyberbullying, o qual expõe a vítima a humilhação pública online e dificulta a identificação do agressor, pois, normalmente, ele é realizado através de perfis falsos. Algumas formas de ataques virtuais são:

  • Postagens com xingamentos à vítima em redes sociais
  • Propagação de calúnias
  • Compartilhamento de conteúdo constrangedor à vítima

Em 2016, entrou em vigor no Brasil a  Lei nº 13.185,  que instituiu o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). A lei prevê que é um dever das escolas realizar campanhas para conscientizar os alunos contra o bullying e também criar planos de ações que combatam essa prática.

 

Converse com os alunos

 

O diálogo com os alunos é uma ferramenta indispensável quando o assunto é evitar o bullying na escola. É necessário que os professores mostrem aos estudantes a gravidade do que é o bullying e como ele pode afetar as pessoas que sofrem com ele.

A escola deve pensar em formas de promover essa conversa e isso pode ser feito através da implementação de ações variadas, tais como:

  • Realizar debates sobre o tema
  • Passar filmes que abordam a temática e depois promover uma reflexão com os alunos sobre eles
  • Fazer rodas de leituras com texto e livros que falam sobre tópicos que tem a ver com o bullying, como respeito às diferenças e empatia.
  • Usar jogos e atividades lúdicas que tenham como foco a cooperação
  • Criar campanhas de combate ao bullying
  • Colar cartazes na escola que conscientizam sobre o problema e encoraje os alunos a denunciarem casos de bullying
  • Abordar a diversidade sociocultural nos temas das aulas

Encoraje que os estudantes reportem os casos de bullying

 

É comum que as  vítimas de bullying na escola sofram caladas, sem que ninguém perceba dor que as agressões causam, diariamente. Isso ocorre porque elas se sentem envergonhadas, culpadas, têm medo da retaliação ou de que ninguém acredite nelas.

Por isso é muito importante incentivar os alunos a denunciarem os casos de bullying e deixar claro que a vítima nunca tem culpa. Mostre que, ao denunciarem, eles têm o poder de impedir que uma situação se agrave e, que, presenciar estes atos e não falar nada é uma forma de ser cúmplice, fortalecendo as práticas de bullying.

Entretanto, os alunos podem se sentir intimidados a falar qualquer coisa. Por isso, a diretoria, junto com os professores, deve trabalhar para criar um ambiente onde eles se sintam seguros e confiantes para se abrirem. Uma alternativa, por exemplo, é fazer um canal de denúncias anônimas, através de um formulário online ou que será disponibilizado na escola.

Também é recomendado realizar pesquisas periódicas com os estudantes, que dêem abertura para que eles falem sobre como se sentem no ambiente escolar e o que os aflige.

 

Instrua os educadores sobre como agir

 

Para promover o diálogo e fazer com que os alunos entendam os problemas do bullying é preciso que os professores também compreendam a gravidade dessa questão. A escola deve treinar todos os funcionários para que eles saibam como dialogar com os alunos,  identificar casos de bullying e lidar com situações de agressão.

A realização de reuniões, debates e palestras com os professores é muito importante, assim, eles terão a oportunidade de trocar experiências e juntos criarem um guia de ações para orientar o combate ao bullying no dia a dia da escola.

Ao identificar ou receber a denúncia de um caso de bullying, a ação do professor pode ter um impacto positivo ou negativo, dependendo da a forma como ele irá se comunicar, tanto com a vítima quanto com o agressor. É necessário que o professor acolha a vítima, reforce que ela não tem culpa,  mostre empatia e estabeleça confiança para que ela consiga se abrir.

O agressor por sua vez, precisa compreender o erro dos seus atos, porém isso não pode ser feito com o intuito de humilhá-lo, mas, de educar. Questione-se sobre quais são os motivos que o levaram a ter um comportamento agressivo. A vítima e o agressor precisam de acompanhamento e apoio psicológico para que o ciclo de violência não se repita.

 

Fique atento à mudanças de comportamento dos alunos

 

Além de encorajar os alunos a denunciarem o bullying na escola, também é necessário observar e as mudanças de comportamento deles. Como professor, você certamente conhece bem suas turmas, sabe das particularidades de cada um, e isso o ajudará a detectar indícios de que o estudante está sofrendo com o bullying.

O aluno pode desenvolver ansiedade, depressão, baixa autoestima, parar de ir às aulas, ficar disperso, apresentar queda no rendimento escolar, se isolar, aparecer com os livros ou roupas rasgadas, entre outras coisas. Caso você perceba esses sinais, converse com o  estudante sobre o que pode estar acontecendo, de forma que ele se sinta confortável e se coloque à disposição para ouvi-lo.

Você quer ajudar outros profissionais da educação a combaterem o bullying na escola? Compartilhe o nosso post nas suas redes sociais e torne-se um aliado nesta luta tão importante!

06
qualicorp
01
02
05