Como o professor do futuro deve ser

 

A sociedade mudou e junto com ela o papel do educador também deixou de ser o mesmo de 100 anos atrás. O professor do futuro não é mais aquele que se restringe a passar definições e conceitos, ele precisa aprender a lidar com a quantidade massiva de informações que a internet proporciona diariamente.

 Se no século passado, o nível de conhecimento da humanidade dobrava em cerca de 150 anos, hoje pesquisadores de tecnologia estimam que isso acontece a cada 73 dias. O Google oferece aos alunos o acesso a milhares de conteúdo a apenas um clique de distância.

 Qual o papel do professor em tudo isso? Cabe ao educador contextualizar o conhecimento, oferecer aos alunos ferramentas para desenvolverem pensamento crítico, habilidade de análise e investigação.

 Confira o nosso artigo e descubra quais são as competências essenciais para o professor do futuro!

 

Estar por dentro das novas tecnologias

 

O uso dos smartphones dentro de sala de aula é motivo de estresse para muito professores. As redes sociais e os jogos online podem ser uma distração, sim, que impede os alunos de aprenderem o conteúdo. 

 Entretanto, isso não quer dizer que a tecnologia deve ser vista como uma inimiga do ensino. Pelo contrário, o mundo digital faz parte do nosso dia a dia e o professor do futuro deve saber como usar os diversos recursos, que a internet oferece, ao seu favor.

 Aplicativos, jogos, vídeos e vários outros materiais digitais podem e devem ser aliados do ensino. Se utilizados com planejamento, eles são excelentes maneiras de tornar as aulas mais dinâmicas, interativas e atrair a atenção dos estudantes.

 Procure se atualizar e conhecer mais das novas tecnologias para tirar todo o proveito delas, como um forma de disseminar o conhecimento e promover o engajamento.

 

Ter um método de ensino multidisciplinar

 

Outra competência imprescindível para o professor do futuro é ensinar o conteúdo da sua matéria relacionando-o com outras disciplinas, de forma com que o aluno possa entender como aplicá-la no mundo real. 

 É necessário pensar em estratégias de ensino que sejam capazes de mostrar como as matérias estão interligadas e se completam. Os estudantes sentem a necessidade de entender a utilidade das informações que lhe são passadas, sem que ela apareça como algo isolado do mundo.

 Quando o aluno tem um contexto, entende como relacionar o conteúdo que lhe é ensinado e sabe para o que ele serve, o processo de aprendizado fica muito mais dinâmico e interessante.

 

Desenvolver habilidades socioemocionais dos alunos

 

O professor do futuro também deve se preocupar em criar um ambiente de aprendizado onde seus alunos se sintam seguros, acolhidos e bem recebidos. Isso significa entender as necessidades emocionais dos estudantes, estar atento à elas e respeitar as diferenças de cada um. 

 Desenvolver as habilidades socioemocionais dos alunos vai muito além de explicar um conteúdo, tem a ver com cultivar o respeito mútuo e valorizar a perspectiva alheia.

 Reforce que a escola é um ambiente democrático, onde as diferenças são aceitas e atitudes como bullying são inadmissíveis. Dessa forma, você ajudará com que os alunos tenham uma visão mais ampla, que compreendam a pluralidade da sociedade em que vivemos e que desenvolvam inteligência emocional.

 O respeito às diferenças também deve ser levado em consideração quando falamos do processo de aprendizagem. O professor do futuro precisa entender que cada estudante tem suas particularidades e incentivar não somente aqueles que só tiram notas altas, mas olhar para a forma como os outros podem melhorar e encorajá-los.

 

Se manter em um processo contínuo de formação

 

Assim como as tecnologias estão em constante mudança, o mundo dinâmico em que vivemos requer que os professores do futuro se mantenham em um processo contínuo de formação. Ou seja, sempre em busca de novos conhecimentos, metodologias e ferramentas diversas.

 O amor pelo conhecimento permanece como a base da profissão de educador. Essa paixão deve servir como um propulsor para que o professor mantenha um olhar questionador sobre o mundo, em  uma busca insaciável pelo saber, que servirá de inspiração para os alunos.

 Nós compreendemos, entretanto, que, muitas vezes o professor encontra dificuldades de se atualizar e fazer novos cursos por falta de tempo. Por isso é interessante que as próprias instituições de ensino tenham a iniciativa de oferecer meios para que os educadores tenham acesso a novos conhecimentos.

 A formação do professor do futuro nunca termina. Ele também tem como papel acompanhar as mudanças e adaptar as suas aulas de acordo com elas.

 Você sente que está preparado para ser um professor do futuro?  Na sua opinião quais competência são imprescindíveis para que possamos conquistar uma educação de qualidade?

 

Conta para a gente nos comentários e compartilhe este artigo com outros professores, para que eles também possam dar sua opinião.

 

06
qualicorp
01
02
05